Mil anos


Bem, todos nós sabemos que ainda há  muito o que descobrir sobre a face de Deus. Chega uma hora, que mesmo diante de tantas provas precisamos mesmo assim de uma intervenção direta do Divino para que possamos senti-lo perto de nós. Imagino os dias em que Ele descia até o paraíso para ter uma conversa com seu filho, a sua criação. Sua Majestade entrando por entre as árvores, imagino Deus andando calmamente, com as mãos nas costas olhando para um lado e para o outro apreciando o resultado de suas mãos e a procura daquele que custou seis dias de intensa concentração… Sim, porque não? Já que para que a terra se transformasse em um lugar aprazível era necessária toda uma preparação… Primeiro, imagino eu, Ele disse… Pára tudo! Vou criar… Antecedendo as necessidades de sua criação, inicialmente Ele determinou que a eternidade tivesse um vácuo… Que foi chamado de tempo. Ele rasgou a eternidade e criou o tempo, lugar onde havia de habitar a sua criação… Da escuridão total, chamou a Luz… Só que não era o sol e a lua… Já que ainda não existia nenhum luminar… Era a Luz… Era o verbo… Era a Palavra… O inicio pelo qual foram criadas todas as coisas…

Então, vieram os complementos para esse novo ato… A terra, que era vazia… Sem forma… Os seres viventes, a relva… E finalmente para dar vida aquele pelo qual Ele daria a sua vida, criou o homem… Imagino-O descendo com todas a majestade… Pisando na terra, abaixando-se, tocando no solo, moldando com as mãos… Criando com toda atenção o funcionamento dos órgãos, do sistema respiratório, ate as mais complexas redes de neurônios… Moldando os olhos… Os cabelos… O mais delicado semblante já criado. E então ergue o boneco de barro à altura da sua boca e assopra… O sopro divino… Que faz vir àquele pulmão a primeira respiração… O primeiro batimento cardíaco… O primeiro olhar… E mesmo que Deus já soubesse que no futuro àquela criatura te traria muitas dores, o seu encantamento não diminuiu, como um pai que olha pela primeira vez para seu filho. A mãe que se encanta com os pés, os dedinhos…

Deus-Pai olha com amor para aquele ser recém-criado que traz uma centelha divina Dele próprio… Sempre penso nesse momento como mágico… Como um encontro de puro encantamento… Quem sabe visto por milhares de olhares dos anjos… Ou apenas Dele próprio… Um momento solitário, mas repleto de dor, amor… Paz. Sentimentos que talvez seja impossível de descrever… A Bíblia diz que um dia para Deus vale mil anos e mil anos um dia. Pensando assim se passaram alguns dias da criação… Alguns dias do momento mágico que introduziu a presença humana no cenário universal.

Todo ser vivo que possui essa centelha divina tem em mente as perguntas: porque eu nasci? Qual meu objetivo? Para onde vou? Respostas que só aquele que nos criou pode responder… Chegue-se a Deus e Ele chegará a vós…




Postagens mais visitadas deste blog

Decisão

Transformação

Viver