Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2011

Uma decisão.

Imagem
Os dias nos trazem novidades, ventos fortes, dores fortes e situações que nos forçam a tomar decisões que invariavelmente irão envolver outras pessoas. A grande dificuldade é não ouvir o coração, que teima em percorrer o caminho mais íngreme... aquele que fará com que o final seja um grande abismo e fatalmente uma queda sem fim. Como todo ser humano, nos acostumamos com o o caminho íngreme; em andar nas beiradas dos abismos e o deslocamento de uma queda sem fim. Mas, algumas pessoas questionam, olham para os lados e percebem que existem outros caminhos sem abismos e sem quedas no final. Algumas pessoas até conseguem sair desses limbos que não conseguimos definir nem nomes pra eles. Estou vencendo... me arrastando em direção a uma saída. Sei que existem forças que impulsionam para os dois lados...como se fossem ventanias contrárias que castigam meu corpo, minha alma e meu espirito. Espero que no final eu possa dizer que meu corpo está ensanguentado... ferido, mas a minha alma está inte…

sabe...

Imagem
Sabe o que é se perder numa canção?
Se perder num olhar, numa emoção?
Sabe o que é deixar-se levar por uma palavra que te inundou de esperança?
Sabe o que é sonhar, por nada...
Viver a espera de que o silencio rompa...?
Sabe o que é segurar as lagrimas nos olhos?
Se fechar em concha diante de uma multidão?
Sabe o que é ser pleno e ter nenhum ar em seus pulmões?
Sabe o que é o desejo de um toque, apenas um... tão distante
Sabe o que é desejar ardentemente e ficar seca... desértica
Sabe o que é ser e ver que não é?
Que as palavras apenas te enganaram
Que os olhares foram feitos de engano?
Sabe o que é sentir dentro de você uma dor que não cabe
Gostar tanto que dói?
Sabe o que é viver pra ver...
E como não vê, os olhos emudecem... se entristecem...
Sou como essa que deixou-se levar por talvez...
Que se perdeu num mar de impossíveis...
Que se trancou no escuro de olhos abertos...
Sou essa
Que está só... cheia e só.


a noite e a lua em mim....

Imagem
"Estou aqui, de madrugada sem sono Vi a lua nascer hoje, segui com o olhar o seu percorrer E mesmo com o lindo luar o meu pensamento não estava lá
Sinto-me idiota esperando um sinal seu... pois sei que ele não vem Explico pra mim mesma que a sua voz não vai encher meus ouvidos E nem suas mãos percorrer meu corpo... E mesmo assim me convenço de que cada vez mais me encontro perdida  Num olhar que só existe em minha lembrança No gosto ausente de sua boca em mim...
Os meus olhos transbordam de vida, que escorre pelo meu rosto  Tentando encontrar o caminho que saciaria a sua sede E mesmo assim me convenço de que cada vez me encontro perdida Nas palavras que me envolveram e criaram em mim o deleite de um dia 
E agora, o que faço com tanto amor, com tanta emoção que não cabe em mim  Devo persistir em sonhar, ou apenas acordar? E a dor que salta o peito, que me envolve de um jeito que só você pode aplacar...
Sei, estou parecendo uma boba, criando versos pra você me notar Sei, nada vai adiantar... Fica a…